Fissura anal crônica saiba quando a cirurgia e a primeira opção no tratamento?

A fissura anal crônica e uma doença formada por uma ferida constituida por um tecido endurecido, chamado de fibrose , consequente ao próprio fator causal da fissura anal crônica de se formar em uma área menos vascularizado ou isquêmico da circunferencia anal, isto é com menor concentração de oxigênio o que se tornará uma ferida isquêmica com mais dificuldade para cicatrização.

– Causa da fissura anal crônica:

A fissura anal crônica não tem uma causa bem definida estando relacionada em 80% dos casos com esforço para evacuar fezes endurecidas e em 20% com a diarreia, tendo algumas teorias e muitas controvérsias porém a teoria do baixo fluxo de oxigênio para a comissura ou ângulo posterior do ânus vem sendo a mais aceita e essa teoria está associada a pressão aumentada do músculo esfíncter interno do ânus responsável por cerca de 55% da pressão de repouso da abertura anal que nos pacientes com fissura anal crônica está com a pressão aumentado sendo diagnósticado por um exame chamado de Manometrias Anorretal como músculo esfíncter interno hipertônico sendo a diminuição da pressão deste músculo o foco da cirurgia cuja eficácia poderá ser comprovada pelos bons resultados obtidos com a cirurgia para a fissura anal crônica que eu faço com laser sob anestesia local e sem internação.

Diagnostico da fissura anal crônica:

Atualmente eu tenho feito na minha clínica o diagnóstico da fissura anal crônica somente pela inspeção da abertura e canal anal para evitar a dor e o desconforto do toque mas a glândula inflamada ou papilite hipertrofica que está presente em cerca de 33% das fissuras crônicas deverá ser sempre lembrada e confirmada antes ou no momento da cirurgia.

Tratamento da fissura anal crônica:

1- Pomada:

2- Cirurgia com laser: A cirurgia será o padrão ouro para a fissura anal crônica.

Entenda por partes porque o tratamento cirúrgico da fissura anal crônica será a primeira opção:

– Primeiro passo: Pelinha ou plicoma perianal sentinela: Não tem pomada ou medicamentos que retirem a Pelhinha ou plicoma perianal da fissura anal crônica fora a cirurgia.

Figura com pelhinha perianal da fissura anal crônica que foi tratada com laser sob anestesia local e sem internação:

Segundo passo: A Ferida:

E uma ferida profunda se bordos elevados e endurecidos e o fundo da ferida geralmente tem infecção sendo formado pelo músculo esfíncter interno do ânus que fica irritado pela inflamação e infecção local e ficará mais contraído o que impedirá mais a chegada do oxigênio e nutrientes para determinar a cicatrização da fissura anal crônica, por isso esse tecido deverá ser totalmente retirado e deixar essa ferida representará o insucesso da cirurgia e faço essa retirada com laser sob anestesia local e sem internação e os pacientes receberam um guia para uma reeducação alimentar e bom comportamento postural até para evacuar de forma correta.

– Terceiro passo: Músculo esfíncter interno do ânus: Diminui a pressão que se for feita por médico proctologista experiente não terá risco de incontinência anal:

Figura abaixo:

About the Author:

Leave A Comment

Agende sua consulta agora mesmo!

Marque sua Consulta pelo Whatsapp!